terça-feira, 5 de novembro de 2013

#4 Igreja (e a fama que ela tem)

Olá novamente! A vida corrida não me deixou postar antes... E eu achando que depois de casada teria um tempo livre... Ah, doce ilusão.

Hoje vou falar sobre a igreja (e a fama que ela tem). Meu noivado começou de uma maneira bem esquisita... Conversando com o Bruno (na época namorado) nós decidimos que em breve ficaríamos noivos, só que quando começamos a conversar sobre datas, percebemos que teríamos pouco tempo para planejar tudo. A coisa é que ele disse que tinha uma data específica para o noivado em mente e que não queria pedir antes disso... Estaria tudo bem se ele não tivesse escolhido a pessoa mais ansiosa do universo como esposa e o resultado disso foi que decidimos começar a planejar antes mesmo de ficarmos noivos.
Um belo dia resolvemos sair para olhar igrejas. Estávamos olhando, perguntando preços, conversando... Foi a primeira vez que fomos ver igrejas. Fomos na Nossa Senhora do Lago, onde eu sempre achei que me casaria, mas lá nos falaram que talvez na data que queríamos fosse ter segue me e que teríamos que esperar uma semana para saber. O problema é que, como eu disse, sou ansiosa. Eu já estava encucada que em 6 meses não conseguiríamos a data...
De qualquer maneira, olhando igrejas nós entramos na São Judas Tadeu. Achamos a igreja linda, conversamos na secretaria e, na hora de ir embora, resolvemos caminhar pelo corredor, para ver como seria. E, nesse momento, sentimos alguma coisa. Não sei descrever... Ambos sentimos que teria que ser ali. Eu e o Bruno não somos muito ligados a igreja ou religião (não quer dizer que não acreditemos) então sentir isso foi estranho, mas foi um sinal (ainda acreditamos nisso).
A experiência foi tão boa que reservamos nossa data no dia seguinte. Tudo parecia lindo e maravilhoso... Até nós começarmos fechar contratos.
Ah sim, queridas noivinhas, as coisas começaram a nos preocupar, pois 100%, sim CEM POR CENTO, dos nossos fornecedores nos falavam alguma coisa sobre o padre dessa igreja, e isso sem a gente sequer perguntar. Era cada história que eu comecei a ficar desesperada. A história mais corriqueira é que ele dá bronca nos noivos que atrasam (mesmo que não seja culpa deles), as outras prefiro nem contar!!
A gota d'agua foi minha avó falando que passou por uma situação terrível em um casamento e justamente nessa igreja e por causa desse padre. Nessa hora foi pânico total.
A igreja permite que você chame um padre de outra paróquia e cobram uma taxa de R$250,00. Mas, honestamente, os 250 mais bem pagos do meu casamento.

Chamamos um padre amigo da minha avó. O conhecemos antes, explicamos tudo o que queríamos, ele foi um amor de pessoa.

Ah, mas eu não fiquei imune à personalidade do padre da são Judas!!! No dia do casamento, me falaram que ele foi fiscalizar tudo e ao ver as bolinhas de sabão, ele falou que se usássemos as bolinhas, eu e o Bruno pagaríamos uma multa e a cerimonialista nunca mais faria um casamento na igreja!!! A coisa é que nós ligamos TRÊS VEZES para confirmar que poderíamos usar as bolinhas de sabão!! Ou seja, o que der na telha desse padre, vira regra, não importa o que está no contrato ou o que foi acordado verbalmente.

Ao menos ele não estava lá para reclamar das nossas músicas (Disney, Kiss, Aerosmith).

Recomendo? Me arrependo?
A igreja é linda e eu e o Bruno sentimos algo muito especial. Não poderia ter sido em outro local. Agora, eu fortemente recomendo chamar outro padre, pois algumas noivinhas falaram que ele na entrevista é legal, engraçado e divertido e na hora do casamento a personalidade muda completamente.

Mas é claro, eu não o conheço e não me casei com ele! Tem gente que diz que ele é legal e o adora! Então acho que vai de cada um.. :) Fato é que a igreja é maravilhosa




Até a próxima!!! Continuem seguindo o blog :) O próximo post será sobre A saga do vestido e do sapato.